Palestra aborda prevenção ao suicídio

A Secretaria da Saúde, Habitação e Assistência Social organizou na noite da última quarta-feira uma palestra com a médica psiquiatra Aline Vollrath Bento. O encontro ocorreu nas dependências do Salão de Pedras, no Parque de Exposições, em Bauereck e faz parte da programação alusiva ao Setembro Amarelo.


Conforme Aline, é possível prevenir o suicídio, considerado um problema de saúde pública. Apesar de inexistir políticas públicas voltadas especificamente a prevenção do suicídio no país, são realizadas campanhas de conscientização e divulgação sobre o tema como o Setembro Amarelo, que contribuem para o esclarecimento do assunto na sociedade. “Podemos evitar com a identificação precoce dos fatores de risco. Quase todos os suicidas tinham uma doença mental, muitas vezes não diagnosticada, frequentemente não tratada ou não tratada de forma adequada”, comenta.


Segundo ela, os transtornos psiquiátricos mais comuns incluem depressão, transtorno bipolar, alcoolismo e abuso ou dependência de outras drogas e transtornos de personalidade e esquizofrenia.


Destaca a importância de discutir o assunto, principalmente por profissionais de saúde capacitados.


Fique atento
Mito - Suicídio é uma decisão individual, já que cada um tem pleno direito a exercitar o seu livre arbítrio.


Falso - Os suicidas estão passando quase invariavelmente por uma doença mental que altera, de forma radical, a sua percepção da realidade e interfere em seu livre arbítrio. o tratamento eficaz da doença mental é o pilar mais importante da prevenção do suicídio. após o tratamento da doença mental o desejo de se matar desaparece.


Mito - Quando uma pessoa pensa em se suicidar terá risco de suicídio para o resto da vida.


Falso - O risco de suicídio pode ser eficazmente tratado e, após isso, a pessoa não estará mais em risco.


Mito: As pessoas que ameaçam se matar não farão isso, querem apenas chamar a atenção.


Falso - A maioria dos suicidas fala ou dá sinais sobre suas ideias de morte. Boa parte dos suicidas expressou, em dias ou semanas anteriores, frequentemente aos profissionais de saúde, seu desejo de se matar.


Mito - Se uma pessoa que se sentia deprimida e pensava em suicidar-se, em um momento seguinte passa a se sentir melhor, normalmente significa que o problema já passou.


Falso – Sem alguém que pensava em suicidar-se e, de repente, parece tranquilo, aliviado, não significa que o problema já passou. uma pessoa que decidiu suicidar-se pode sentir-se “melhor” ou sentir-se aliviado simplesmente por ter tomado a
decisão de se matar.


Foto divulgação
Texto – Giovane Weber – Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Forquetinha