Programas fortalecem e qualificam setor primário

Executivo mantém 42 projetos para auxiliar famílias. Por ano é aplicado R$ 1,6 milhão

O casal Ênio e Iara Hübner, 61 anos ambos, de Arroio Alegre mantém uma produção de 240 litros de leite por dia. São 15 vacas em lactação. Com o auxílio dos 42 programas em andamento na Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente conseguem reduzir custos, atingir melhores índices de qualidade e elevar a renda.
Conforme Hübner, somente na confecção de silagem obteve uma economia de R$ 750. “Foram 15 horas de trabalho. Se contrata-se um particular, o custo seria de R$ 130 a hora. Pela secretaria paguei apenas R$ 80”, contabiliza.
Além disso, recebeu auxílio na recuperação de acesso, colocação de material, consultas veterinárias, inseminador, transporte de esterco líquido, cheque incentivo, milho troca-troca entre outros. “É elogiável o esforço e a ajuda que recebemos por parte do Executivo. Fundamental para nos adequarmos às exigências do consumidor e manter nossa lucratividade”, afirma.
Para Iara é de extrema importância investir no setor primário. “Assim os jovens ficam na propriedade”, argumenta.
Segundo o secretário da Agricultura Adair Pedro Groders, nos seis primeiros meses do ano foram 656 produtores atendido, totalizando mais de 1,8 mil horas trabalhadas. “A maioria dos atendimentos é gratuito. O produtor economiza e consegue aplicar este dinheiro em novos projetos”, destaca.


Foco na profissionalização


O prefeito Paulo José Grunewald ressalta a aplicação de R$ 1,6 milhão do orçamento em projetos desenvolvidos na agricultura, setor o qual responde por mais de 74% da arrecadação.
Ao assumir o governo, muitos programas foram reativados, a exemplo do atendimento veterinário direto na propriedade e a recuperação de acessos. Grunewald comenta que o setor movimentou R$ 31,2 milhões no ano passado em valor adicionado.
Para elevar este valor, o governo mantém 42 programas de incentivo. “Precisamos profissionalizar quem atua no setor e permitir o acesso às novas tecnologias. Juntos conseguimos crescer, ampliar a produção e melhorar a qualidade de vida de quem trabalha no campo”, finaliza.


Raio X do setor primário


Leite


Produtores – 198
Produção – Mais de 7 milhões de litros
Movimentação financeira – R$ 7,3 milhões


Suínos


Produtores – 25
Produção – 38.264 mil cabeças
Movimentação financeira – R$ 11,1 milhões


Aves


Produtores – 9
Produção – 1.496.780 milhão de cabeças
Movimentação financeira – R$ 6,3 milhões


Tabaco


Produtores – 48
Produção – 177.865.33 mil quilos
Movimentação financeira – R$ 1,3 milhão

Total – Em 2017, o setor primário movimentou R$ 31,2 milhões


Fonte – Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente

Foto e texto Giovane Weber – Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Forquetinha